segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Vencedor do Desafio: "Dia Internacional da erradicação da pobreza"



Filipe Rosa, nº13, 7º 3ª



"O mundo não é perfeito
Pois há muita tristeza
Para mudar este conceito
Digamos NÃO à pobreza"

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Dia Internacional para a erradicação da Pobreza




"HOJE é DIA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DA POBREZA.

Queremos um mundo sem pobreza e fome!

Queremos um mundo com acesso universal à educação!

Queremos um mundo sem discriminação de género!

Queremos um mundo onde crianças não morram desnecessariamente!...

Queremos um mundo onde todas as mães tenham acesso à saúde!

Queremos um mundo onde não se morra por falta de cuidados médicos!

Queremos um mundo onde o ambiente seja protegido!

Queremos um mundo unido, solidário e em paz!"



Oikos - Cooperação e Desenvolvimento




Para assinalar esta data vou propor-te o seguinte desafio:



Durante esta semana contrói uma frase ou verso que contanha as palavras MUNDO e POBREZA e envia aqui para o blogue.

A frase vencedora será premiada... Bom trabalho :)

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Portugueses são os que menos vêem o clima como o maior problema mundial


"O portugueses são os europeus que menos colocam as alterações climáticas no topo da lista dos problemas do mundo, segundo os resultados um inquérito Eurobarómetro hoje divulgados.

Apenas sete por cento da população – um em cada 14 residentes – acha que se trata do mais sério problema que a humanidade está neste momento a enfrentar e 28 por cento dizem que é um dos três maiores problemas actuais. A média da União Europeia é de 20 por cento e 51 por cento, respectivamente.


Entrevistados em Junho de 2011, os europeus colocaram as alterações climáticas em segundo lugar na lista das suas preocupações, apenas atrás da pobreza, fome e falta de acesso a água.


Portugal é um dos países que mais se afasta deste padrão. A pobreza também está no topo, com 44 por cento dos portugueses a dizer que este é o principal problema actual. Mas depois surge a situação económica, com 25 por cento, seguida do terrorismo, com nove por cento. As alterações climáticas ficam em quarto lugar.


O anterior Eurobarómetro sobre a atitude dos europeus quanto ao aquecimento global tinha sido realizado há dois anos, em Agosto-Setembro de 2009, pouco antes da mediática conferência climática das Nações Unidas, em Copenhaga. Na altura, também não tinha ainda estalado a polémica sobre os emails roubados de uma universidade britânica, que alegadamente revelavam procedimentos incorrectos de climatologistas – no que ficou conhecido como o caso Climategate.


Passados dois anos, as alegadas dúvidas lançadas pelo Climategate sobre a ciência parecem não ter tido reflexo no nível de preocupação dos cidadãos. Mesmo que metade dos europeus não coloquem as alterações climáticas a liderar a lista dos males globais, cerca dois terços (68 por cento) acham que se trata de um problema “muito sério”, contra 64 por cento em 2009. Em Portugal, este valor até sobe para os 75 por cento – ou seja, os portugueses preocupam-se com o aquecimento global, mas acham que há problemas mais relevantes neste momento.


A crise económica é um deles. Em 2009, dez por cento dos portugueses apontavam o recuo da economia como o principal problema mundial, contra 25 por cento agora.


Quanto à contribuição individual de cada um para resolver o problema, a maior parte dos portugueses (56 por cento) diz que separa o lixo para reciclagem, 29 por cento evitam produtos descartáveis, como sacos plásticos de supermercado, e 14 por cento dão preferência a produtos locais. O carro, este, não é visto no país como uma arma para combater o aquecimento global. Só um por cento dos inquiridos no país admitem que isto pesou na hora de escolher um novo automóvel."

ecoesfera.publico.pt

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Ano letivo 2011-2012

Com o ínicio do novo ano letivo, o blogue "Geomania: a Terra da Geografia" vai ter novos autores: os alunos dos 7º anos (1ª, 2ª e 3ª) e dos 9º anos (3ª, 6ª e 7ª) da Escola Básica 2,3 Roque Gameiro.

terça-feira, 21 de junho de 2011

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Desafio: Dia da Criança

Dia da Criança





Hoje celebra-se o Dia da Criança! O desafio que te é proposto é o seguinte:


- Construir uma frase ou pequeno texto que inclua as palavas: Criança e Mundo.


O desafio irá decorrer até ao próximo dia 8 de Junho e o vencedor será premiado.


Boa Sorte!

sábado, 21 de maio de 2011

Visita de estudo à Base Aérea Nº 1 - Sintra



















Estação meteorológica - exterior



Estação meteorológica - interior















Torre de controlo















Simulador aéreo



28 de Abril de 2011

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Dia da Europa - 9 de Maio, pelos alunos do 7ºC da Escola de São Bruno

A União Europeia

Guilherme


O dia da Europa é:


"O dia da Europa ou dia da União Europeia é uma data comemorativa celebrada anualmente na Europa (ou à União Europeia) no dia 9 de Maio. A data escolhida reflecte o dia 9 de Maio de 1950 em que o estadista francês Robert Schuman avançou com a proposta de uma entidade europeia supranacional. Essa proposta ficou conhecida como a Declaração Schuman e é considerada o embrião da actual União Europeia.
O Dia da Europa é juntamente com a bandeira, o hino, a divisa (Unida Na Diversidade) e o euro um dos símbolos da identidade comum da União Europeia. Os festejos e actividades deste dia proporcionam uma oportunidade de aproximação dos cidadãos europeus ao conceito de Europa unida e dos povos da União entre si.
Vários países festejam esta data no dia 9 sendo feriado internacional para alguns países europeus. Em Portugal não é."


A Europa e o seu dia


"O Dia da Europa foi criado á 60 anos, no dia 9 de Maio de 1950, nasceu a Europa comunitária, numa altura em que, devemos recordá-lo, a perspectiva de uma Terceira Guerra Mundial angustiava toda a Europa que opunha o Bloco de Leste liderado pela então União Soviética e o Mundo ocidental pelos EUA, esta angustia só termina no ano de 1989 mais precisamente com no dia 9 de Novembro com a queda do simbolo,dessa divisão o "Muro da Vergonha"que estava localizado na cidade alemã de Berlim. Hoje sem muros a dividir o Ocidente e Oriente todos os europeus podem viajar,conhecer,estudar por todo espaço europeu,as barreiras culturais foram derrubadas e hoje vivemos num espaço comum livremente e sem receio de guerras entre povos europeus. Actualmente os desafios da Europa são a promoção da paz,a valorização dos direitos do Homem e sobretudo pelo respeito das minorias e da solidariedade, são estes os valores que estimam e cultivam os cidadãos europeus de geração em geração. Nós somos europeus,temos uma História e queremos continuar a construir História,Hoje Amanhã e Sempre."

Raquel Belchior


O que é o Dia da Europa



"Ao verem nas agendas e nos calendários o dia 9 de Maio identificado como "Dia da Europa", muitas pessoas interrogam-se sobre o que se terá passado nessa data e em que ano terá tido lugar esse acontecimento. Com efeito, poucos cidadãos europeus sabem que a 9 de Maio de 1950 nasceu a Europa comunitária, numa altura em que, devemos recordá-lo, a perspectiva de uma terceira guerra mundial angustiava toda a Europa. Nesse dia, em Paris, a imprensa foi convocada para as dezoito horas no Salon de l'Horloge do Quai d'Orsay, quartel-general do Ministério dos Negócios Estrangeiros francês, para uma "comunicação da maior importância". As primeiras linhas da declaração de 9 de Maio de 1950, redigida por Jean Monnet, comentada e lida à imprensa por Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros da França, dão imediatamente uma ideia da ambição da proposta: "A paz mundial não poderá ser salvaguardada sem uma criatividade à medida dos perigos que a ameaçam". "Através da colocação em comum de produções de base e da instituição de uma Alta Autoridade nova, cujas decisões ligarão a França, a Alemanha e os países que a ela aderirem, esta proposta constituirá a primeira base concreta de uma federação europeia, indispensável à preservação da paz". Era assim proposta a criação de uma instituição europeia supranacional, incumbida de gerir as matérias-primas que nessa altura constituíam a base do poderio militar, o carvão e o aço. Ora, os países convidados a renunciar desta forma ao controlo exclusivamente nacional destes recursos fundamentais para a guerra, só há muito pouco tempo tinham deixado de se destruir mutuamente num conflito terrível, de que tinham resultado incalculáveis prejuízos materiais e, sobretudo, danos morais: ódios, rancores e preconceitos.
Assim, tudo começou nesse dia, razão que levou os Chefes de Estado e de Governo, na Cimeira de Milão de 1985, a decidirem celebrar o 9 de Maio como "Dia da Europa". Os diversos países, ao decidirem democraticamente aderir à União Europeia, adoptam os valores da paz e da solidariedade, pedra angular do edifício comunitário. Estes valores concretizam-se no desenvolvimento económico e social e no equilíbrio ambiental e regional, únicos garantes de uma repartição equilibrada do bem-estar entre os cidadãos. A Europa, enquanto conjunto de povos conscientes de pertencerem a uma mesma entidade que abrange culturas análogas ou complementares, existe já há séculos. No entanto, a consciência desta unidade fundamental, enquanto não deu origem a regras e a instituições, não pôde evitar os conflitos entre os países europeus. Ainda hoje, alguns países que não fazem parte da União Europeia não estão ao abrigo de tragédias terríveis. Como qualquer obra humana desta envergadura, a integração da Europa não se constrói num dia, nem em algumas décadas: as lacunas são ainda numerosas e as imperfeições evidentes. A construção iniciada imediatamente a seguir à II Guerra Mundial foi muito inovadora: o que nos séculos ou milénios precedentes podia assemelhar-se a uma tentativa de união, foi na realidade o fruto de uma vitória de uns sobre os outros. Estas construções não podiam durar, pois os vencidos só tinham uma aspiração: recuperar a sua autonomia. Hoje ambicionamos algo completamente diferente: construir uma Europa que respeite a liberdade e a identidade de cada um dos povos que a compõem, gerida em conjunto e aplicando o princípio segundo o qual apenas se deve fazer em comum o que pode ser mais bem feito dessa forma. Só a união dos povos pode garantir à Europa o controlo do seu destino e a sua influência no mundo. A União Europeia está atenta aos desejos dos cidadãos e coloca-se ao seu serviço. Conservando a sua especificidade, os seus hábitos e a sua língua, todos os cidadãos se devem sentir em casa na "pátria europeia", onde podem circular livremente."



in www.europa.eu



Gonçalo Aiveca, Hugo Martins, João Amado






Gonçalo Batalha







Bernardo Pinto



O Hino da Europa

"O Hino à Alegria, ou Ode à Alegria (em alemão Ode an die Freude), é o nome do poema cantado no quarto movimento da 9.ª sinfonia de Beethoven, conhecida também como Hino Europeu ou Hino da União Europeia.
Beethoven compôs este texto em 1823, inspirado no poema "Ode à Alegria", de Schiller, escrito em 1785. Neste poema Schiller expressa uma visão idealista da raça humana como irmandade, uma visão que tanto este como Beethoven partilhavam.
Este trecho foi escolhido como hino do Conselho da Europa em 19 de Janeiro de 1972. Na altura, Herbert von Karajan compôs os três arranjos oficiais: um para piano, um para instrumentos de sopro e outro para orquestra. Em 1985 a União Europeia adoptou o mesmo símbolo com todos os significados a este inerentes.
Este hino não pretende substituir os hinos nacionais dos países-membros, mas sim pretende celebrar o lema da União Europeia na sua plenitude e celebrar os valores que todos os países se comprometem ao aderir a esta União.
O hino é entoado em cerimónias oficiais da União Europeia, e em vários tipos de manifestações e eventos de carácter europeu. Seu uso não se resume, no entanto, exclusivamente à União Europeia, mas a toda a Europa como uma ideia alargada, tendo sido deste modo referida também como o hino oficial do Conselho da Europa."



Diogo, Tomás, Henrique e João Barreiro

Dia da Europa - 9 de Maio

A ideia que deu origem à União Europeia surgiu, pela primeira vez, em 9 de Maio de 1950 pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros francês Robert Schuman. É por isso que o aniversário da União Europeia é celebrado a 9 de Maio.
A Escola de São Bruno quis assinalar a data com uma exposição de trabalhos realizados, no âmbito da disciplina de Geografia, pelos alunos dos 7º anos.











E ainda com uma palestra promovida pelo Centro de Informação Europeia Jacques Delors que se realizou no passado dia 3 de Maio.